Recomendamos: SuperUlex, de Susana Sanches Arins

SuperUlex, de Susana Sanches Arins, é unha obra publicada por Cuarto de inverno.

“A químio afastou a Clara da sua escola durante semanas, mas ao regressar, tudo nela mudou. Já não é a mesma e não pode ficar indiferente perante as injustiças e atropelos que acontecem à sua volta, venham de quem vier. A sua força e reflexos viram-se afetados de jeito descomunal, tanto que nem ela mesma é capaz de os controlar. Deixou de ser Clara para se converter, com a ajuda da avó Rorita e da tropa fandanga, em SuperUlex, a heroína que todas estávamos a aguardar.”

Presentación de Tu contas e eu conto, de Susana Sanches Arins, o 28 de febreiro ás 20:15 h.

O 28 de febreiro, ás 20:15 horas, Susana Sanches Arins presenta o seu novo libro Tu contas e eu conto, publicado por Através Editora. No acto estará acompañada por Eli Ríos.

“17 relatos e 17 poemas, 17 contos e 17 cantos. Susana Sanches Arins conta sobre amizades que lastimam, sobre a memória dos tempos idos, sobre o nojo, o humor e a morte. Conta sobre ocupar o tempo na precariedade, sobre voltar a casa sozinha, sobre o medo e sobre o assédio. Canta para as mulheres morridas, para quem não chega a casa e para alcateias de lobas. Canta para a luta, para a situação atual e para nós. Lê, que este conto é nosso.”

Recomendamos: Tu contas e eu conto, de Susana Sánchez Arins

Tu contas e eu conto, de Susana Sánchez Arins, é un libro de poemas e relatos publicado por Através Editora.

“17 relatos e 17 poemas, 17 contos e 17 cantos. Susana Sanches Arins conta sobre amizades que lastimam, sobre a memória dos tempos idos, sobre o nojo, o humor e a morte. Conta sobre ocupar o tempo na precariedade, sobre voltar a casa sozinha, sobre o medo e sobre o assédio. Canta para as mulheres morridas, para quem não chega a casa e para alcateias de lobas. Canta para a luta, para a situação atual e para nós. Lê, que este conto é nosso.
eu conto e tu contas. a frase para segredar. a confidência. aquilo que ninguém mais sabe. e também aquilo que todo o mundo conhece mas ninguém diz, por calado. eu conto e tu contas. a intimidade. aquilo que acontece por dentro de nós e só é sabido se verbalizado. a surpresa. o nojo. a dor. o gozo. eu conto e tu contas. e já sabes. não digas a mais ninguém.”

A noiva e o navio, de Susana Sánchez Arins

Volvemos dar paso aos envíos de clientes e leitor@s. Desta volta, a recomendación é de Ramiro, a quen agradecemos novamente a colaboración. Se queres, podes enviarnos o que che consideres interesante para publicar aquí ao noso correo: libreriasisargas@gmail.com.

A noiva e o navio, de Susana Sánchez Arins, publicado por Através Editora, propõe uma viagem fresca e potente na imaginaria e a realidade do amor, vivenciado como espaço libertador, longe de todos os cânones, com uma autêntica regalia de linguagem marinheira. Um fica nas mãos com um estranho e denso sabor salgado, depois de visitar os espaços do conhecimento, do erotismo, da visão esplendente do verso como fogo onde se (re)criam mundos, com toda a carga de inteligência e paixão que, como mulher, ajuda a reconstruir e reconstituir a realidade, num labor de sega imprescindível.
Gosta este leitor dessas interseções com o passado, na peneira releitora de tudo o que antecedeu a escrita e a vida, convertendo o livro em diálogo amplo e criativo. Parabéns a Susana e obrigado por essa constância na escrita e nas aventuras poéticas que nos tem fornecido ((de)construçom e Aquiltadas).
Vai também este poema-diálogo com o livro, como uma outra leitura do mesmo:

Cantamos a viagem
dos corpos magnéticos
criados neste mar recém
nascido desde sempre,
jazemos no fulgor do poema,
estranhos ao tempo,
enquanto as palavras
copulam, ascendentes:
descobrimo-nos como
amantes a construir
embarcações no início
de nós, habitando
um vazio em brasa
onde conhecemos
a convulsão do abraço
em que se devasta o
escuro e nos perdemos
na inominação deste
navio que nos atravessa.”